Nossas crenças irracionais


Luci Endson Balthazar, Psicóloga e Coach
www.promoverpsi.com.br


Ao longo da vida, muitas vezes sem perceber, vamos construindo nosso Sistema de Crenças, que poderá se tornar um perigoso conjunto de “certezas absolutas”.

Albert Ellis, psicólogo americano, desenvolveu estudos que comprovaram que nossas atitudes passam pelo filtro do nosso Sistema de Crenças. Em outras palavras, primeiro examinamos o fato através de nossas crenças. Se a crença correspondente for uma Crença Irracional, isso conduzirá a uma distorção cognitiva, que levará a uma ação inadequada.

Quantas vezes, em nosso trabalho de Coaching, temos encontrado pessoas com ótimo nível de inteligência, cultura e experiência vivenciando dificuldades para implementar seus projetos de vida, tomando decisões que as prejudicam ou se mantendo paralisadas diante de oportunidades.

Muitas vezes, não nos damos conta do grau de interferência que as Crenças Irracionais exercem em nossas vidas, em nossos relacionamentos e o quanto dificultam ou impedem nossas realizações.

Podemos citar alguns exemplos, mas a lista é interminável…

  • “Se não fizer tudo perfeito, sou incompetente.”
  • “Não termino o que começo porque o que faço não tem valor.”
  • “Estão me elogiando, mas só estão sendo amáveis.”
  • “Errei e agora vão sempre me ver como idiota.”
  • “Não vejo nada de bom na minha vida.”
  • “A vida sempre será assim. Nunca serei feliz.”


Notem que, até então, citamos Crenças que dizem respeito a nós mesmos. Mas, nossas Crenças também se projetam sobre as outras pessoas, contaminam a maneira como interagimos com os outros e podem se tornar fonte de intolerância, o que, aliás, é uma das “doenças’ que mais afetam a nossa sociedade.

Outros autores também se dedicaram a estudar a maneira como respondemos a cada uma das situações, em cada momento de nossas vidas. Citamos aqui Martin Seligman e Christopher Peterson, também psicólogos americanos. Esses pesquisadores confirmaram em seus estudos que nossas ações não são respostas ao fato em si. Na realidade, respondemos, sim, de acordo com a nossa interpretação do fato. E que essa interpretação do fato é baseada em padrões aprendidos.

Sendo assim, podemos considerar que a notícia é boa, porque, se os padrões são aprendidos, podem ser modificados! Reeducados!

O ponto de partida é o auto conhecimento! Portanto, depende de nós!